Benefícios do Multiletramento

Conforme o Grupo de Nova Londres, fundadores do termo “multiletramento” na década de 90, “Diversidade linguística e cultural agora são questões críticas e centrais”.

Isso significa que o Multiletramento abarca uma aprendizagem contextualizada e efetiva no cotidiano, indo além das abordagens da leitura e escrita praticadas no passado, tornando a aprendizagem mais dinâmica e interativa.

Desse modo, ferramentas são oferecidas para preparar os alunos para um mundo em constante transformação, tornando o ensino mais atraente, com resultados mais eficazes e eficientes, haja vista que as experiências vividas fora de sala podem ser introduzidas e debatidas nesse novo modelo.

Para tanto, o ambiente escolar se torna um espaço de interlocução: diálogos, práticas, teorias e vivências culminam num aprendizado sinestésico, o aluno acessa diversas formas de compreender e expressar o conteúdo abordado.

Confira a seguir 4 Benefícios que o Multiletramento agrega à construção da aprendizagem do indivíduo.

1 – Incentivo às múltiplas competências

Através do Multiletramento, é possível fornecer um repertório de práticas letradas que abordam tanto os textos tradicionais quanto as novas tecnologias da comunicação, inserindo novos domínios, além de trabalhar todos aqueles que já fazem parte do cotidiano do estudante.

Assim, trabalhar apenas a leitura e a escrita já não é suficiente e, portanto, novas esferas de registro e expressão são exploradas, os meios digitais se fazem presentes e as competências e habilidades são encorajadas, ao passo que, os alunos são convocados a serem agentes atuantes na construção do próprio aprendizado.

2 – Experiências ricas e diversificadas capazes de ampliar a percepção de mundo

A globalização criou uma teia de relações. O mundo se conecta e se transforma com grande velocidade e essa abordagem se faz centro na pedagogia do multiletramento. Contando com uma participação ativa dos estudantes e de suas respectivas realidades, essa intersecção oportuniza um aprendizado prático e multicultural: “Eles diferem de acordo com a cultura e o contexto e têm efeitos cognitivos, culturais e sociais específicos”, conforme pode ser visto no estudo feito pelo Grupo Nova Londres.

3 – Encorajamento à construção de senso crítico

O espaço educativo propõe meios pedagógicos para que o estudante desenvolva habilidades na curadoria, análise e interpretação das informações captadas no seu convívio social e nos meios digitais, contemplando a subjetividade do aluno e incentivando o “olhar apurado”, afinal, não se trata apenas da compreensão do texto.

De acordo com a mestre em linguística, Roxane Rojo, os multiletramentos “são interativos; mais que isso, colaborativos” e essa colaboração permeia pesquisa e seleção de um conjunto de informações relevantes e interessantes sobre o assunto, para tanto, a apuração da criticidade é fundamental.

4 – Desenvolvimento psicossocial nas relações interpessoais

A transgressão da compreensão dos códigos, da junção de letras e fonemas e da formação de textos tradicionais culmina em estudantes que desenvolvem a comunicação em esferas ainda mais amplas. O diálogo está em constante transformação, a exploração do visual, do auditivo, do táctil, do espacial, entre outros, faz-se necessária.

Alunos inseridos no contexto dinâmico da atualidade são capacitados para lidar com as mais diversas situações e para expressar-se de forma cada vez mais assertiva.

O estudante já não é mais um “mero receptor”, ele se apresenta como co-autor naquele espaço e nele, esboça vivências que serão exploradas dentro e fora do ambiente escolar, auxiliando na interação social dos círculos de convívio ao qual pertence.